manifestando o Reino em meio à adoração, intercessão e batalha espiritual

12 DIAS DE JEJUM CAB – CI – 8º DIA

8º Dia – das 18h de 04.10 às 18h de 05.10 – Agora é a hora do sacrifício. Se prestarmos atenção no texto, notaremos que Elias pediu tanto pra ele, quanto para os representantes de Baal, a mesma oferta; um novilho. De maneira muito interessante, observamos que este é o sacrifício do sacerdote, no dia da expiação. O que acontece com os adoradores de Baal nós já sabemos e não vale nem a pena recontar. Mas com nosso personagem já é diferente.

Além do novilho, o próprio esforço de Elias se mostra um sacrifício. Ele ajuntou as pedras, restaurou o altar, cavou um rego em volta, armou a lenha, partiu o novilho e o colocou sobre o altar. Só de pensar no esforço físico envolvido aqui, já nos cansamos. Isso sem falar no conflito espiritual que está no ar. Mas nosso valente guerreiro seguiu firme. Tão firme, que ele contagia os espectadores com sua convicção. Pede que tragam o bem mais precioso daqueles dias, a fim de ser derramado sobre o sacrifício e o povo atende. Seu pedido envolvia três vezes quatro cântaros de água. Não há consenso sobre quanto de água isso significa, mas os números indicam um cântaro por cada tribo. Ou seja, se a água representava a própria vida naquele momento, a vida da própria nação estava sendo oferecida ao Senhor. É como se tivéssemos um profeta, trabalhando como um sacerdote, num dia de expiação. Isso é bem parecido com o que aconteceu no calvário, há dois mil anos atrás.

Oremos para que abandonemos o nosso medo de nos entregar de verdade ao nosso Deus. Muitas pessoas não querem o Jesus e o Evangelho que pregamos, porque não conseguem ver em nós fome, sede, paixão e amor genuíno, pelo Deus que dizemos servir. Não queremos nos sacrificar pelo Reino nem pelo Rei, e as pessoas que evangelizamos estão percebendo isso. Concluem: se nem eles mesmos se entregam; por que eu deveria me entregar? Temos dado às pessoas algo pelo qual elas podem viver e não algo que valha a pena morrer. Oremos por um povo que olha para o calvário e capta o exemplo. Ele morreu por nós, que valor algum temos. Então vamos estar dispostos a morrer por Ele e o estabelecimento de seu plano e vontade. E isso é na nossa própria vida, na nossa família, em nosso ministério e igreja, na nossa cidade e na nossa nação. Oremos para que venha o Reino. Mas não vamos esperar por isso deitados eternamente em berço esplêndido. Que nos movamos nisso até o fim, com o custo de nossa própria vida, se for necessário.

E com aquelas pedras edificou o altar em nome do Senhor; depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente.

Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre a lenha.

E disse: Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. E disse: Fazei-o segunda vez; e o fizeram segunda vez. Disse ainda: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez;

De maneira que a água corria ao redor do altar; e até o rego ele encheu de água.

1 Reis 18:32-35

Disse-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado.

O presidente, porém, disse: Mas que mal fez ele? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado.

Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo. Considerai isso.

E, respondendo todo o povo, disse: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos.

Então soltou-lhes Barrabás, e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.

E logo os soldados do presidente, conduzindo Jesus à audiência, reuniram junto dele toda a coorte.

E, despindo-o, o cobriram com uma capa de escarlate;

E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus.

E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana, e batiam-lhe com ela na cabeça.

E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado.

E, quando saíam, encontraram um homem cireneu, chamado Simão, a quem constrangeram a levar a sua cruz.

E, chegando ao lugar chamado Gólgota, que se diz: Lugar da Caveira,

Deram-lhe a beber vinagre misturado com fel; mas ele, provando-o, não quis beber.

E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes.

E, assentados, o guardavam ali.

E por cima da sua cabeça puseram escrita a sua acusação: este é Jesus, o rei dos judeus.

E foram crucificados com ele dois salteadores, um à direita, e outro à esquerda.

E os que passavam blasfemavam dele, meneando as cabeças,

E dizendo: Tu, que destróis o templo, e em três dias o reedificas, salva-te a ti mesmo. Se és Filho de Deus, desce da cruz.

E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam:

Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e creremos nele.

Confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus.

E o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados.

E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona.

E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

E alguns dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: Este chama por Elias,

E logo um deles, correndo, tomou uma esponja, e embebeu-a em vinagre, e, pondo-a numa cana, dava-lhe de beber.

Os outros, porém, diziam: Deixa, vejamos se Elias vem livrá-lo.

E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito.

Mateus 27:22-50

São ministros de Cristo? (falo como fora de mim) eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes.

Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um.

Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo;

Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos;

Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez.

Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas.

Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu me não abrase?

Se convém gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza.

O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que é eternamente bendito, sabe que não minto.

Em Damasco, o que governava sob o rei Aretas pôs guardas às portas da cidade dos damascenos, para me prenderem.

E fui descido num cesto por uma janela da muralha; e assim escapei das suas mãos.

2 Coríntios 11:23-33

Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo.

2 Timóteo 4:6

ARREPENDIMENTO

Como tenho sido raso e superficial! Às vezes abro minha boca para cantar “eis-me aqui” e “que farei qualquer coisa por ti”, mas meu coração é totalmente indisposto a realizar qualquer esforço pelo Senhor. Nunca estou disposto a sacrificar nada por ti. Seja em finanças, em tempo, em energia ou minha própria carne e desejos pessoais. Ao olhar para o calvário, imagino teu sacrifício por mim, mas isso não tem se transformado num real desejo de me tornar uma oferta viva pra tua glória. Preciso me arrepender e voltar para Deus, de maneira que eu seja totalmente teu, com tudo o que tenho e sou. Eu quero e vou viver para ti. Essa é minha decisão em Nome de Jesus.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado