manifestando o Reino em meio à adoração, intercessão e batalha espiritual

Primeiro debate presidencial 2018

Na noite de 09 de agosto de 2018, tivemos na Rede Bandeirantes,  o que deveria ter sido o primeiro embate dos candidatos a Presidência da República do Brasil. Digo deveria porque infelizmente, a coisa foi um tanto aguada.

É bem verdade que não possuímos uma gama de super candidatos. Como dissemos no post anterior, não estamos tendo dificuldades por causa da abundância de boas propostas, bons projetos e candidatos. A questão é justamente o contrário. Há uma escassez de expectativa nesse pleito. No entanto, não vai ajudar muito ficarmos apenas com os pontos negativos.

Por mais que não seja uma grande maravilha, um debate como esse dá uma destravada no peso da ansiedade pelo início da campanha. Não que agente morra de amores por ela. Mas sem ela, fica impossível conhecer os candidatos e sua propostas. Com o primeiro debate, finalmente este cenário começa a ser desenhado.

É natural que nos primeiros momentos do primeiro debate presidencial, achemos os candidatos bastante nervosos e ansiosos, principalmente os estreantes nessa arena. Além do nervosismo, outra coisa que se nota logo na apresentação, é a ausência de vários candidatos. Isso acontece porque a legislação eleitoral obriga a participação dos candidatos dos partidos que possuam pelo menos cinco parlamentares no Congresso Nacional. Já para os demais candidatos, o convite para a participação é facultativo.

Passada a pressão do início do debate, é possível seguir para a única coisa que conseguimos ter de proveitoso neste primeiro debate: observar as linhas gerais do estilo de cada presidenciável. Certamente, o que mais interessa são as propostas de cada um deles. Mas na ausência das mesmas, como foi dito acima, temos que encontrar alguma coisa para justificar o investimento de tempo nessa empreitada. 

Encontramos o grupo dos candidatos bem preparados por uma longa carreira nesse meio. E com isso, não dizemos que estejam preparados pra governar o país. Do outro, aqueles que compõe o grupo dos estreantes. Mesmo esboçando uma maior insegurança, não podem ser descartados como postulantes ao cargo de presidente da nação.

Geraldo Alkimin, Ciro Gomes, Marina Silva e Alvaro Dias compõem o grupo dos mais experientes, sendo que os três primeiros já concorreram à presidência anteriormente. Jair Bolsonaro, Cb Daciolo, Henrique Meirelles e Guilherme Boulos estão entre os estreantes como presidenciáveis. 

Em concordância com o grito de socorro da população brasileira, todos os postulantes estiveram afinados com uma exigência: a mudança. Caberá a cada um deles agora mostrar como é possível fazer estas mudanças. A nós eleitores e intercessores, caberá discernir com clareza e eficácia, quem realmente tem a verdadeira condição de cumprir o que é apresentado no discurso. É preciso prestar atenção no que o candidato diz que fará e como fará, para resolver os grandes desafios de um cargo tão importante. Lembrando sempre que pra nós que servimos ao Deus Vivo, o mais importante é seguir ouvindo a voz do Espírito.

Ainda dentro do pensamento dos que servem a Deus, algo que foi bastante comentado, foi a apresentação para o público e para os demais candidatos, do representante do Partido Patriota: Cabo Daciolo. Por mais que ele não tenha apresentado nenhuma grande proposta, e sabemos que isso é muito ruim; ele teve a coragem de ser um porta-voz da Palavra de Deus, diante de uma multidão de políticos, jornalistas e telespectadores na TV e internet. Claro que ele foi satirizado por isso. Claro que a mídia em geral o apresentou como um caricato. Mas qualquer um que resolva manter-se fiel ao Senhor e sua Palavra, num ambiente daquele, seria ridicularizado. O que me chama a atenção e me leva ao questionamento é: quantos de nós teria essa ousadia?

Não estou defendendo a candidatura desse ou daquele. Nem estou dizendo que votem nesse ou naquele. Apenas quero aproveitar a oportunidade pra chamar a atenção do posicionamento que este homem tomou e da ousadia que a igreja perdeu. Se ele é um verdadeiro servo do Senhor ou um explorador da fé em causa própria, todos vamos saber em breve. Mas se recebêssemos o chamado de representar o Rei entre os políticos da nossa nação? Quem responderia sim e se deixaria ser ridicularizado por ler um texto bíblico e citar o nome do Senhor em todas as suas falas?

E quando o primeiro debate presidencial de 2018 não cumpre seu objetivo de apresentar as propostas, é preciso encontrar outros atrativos. Um deles foi a tecnologia utilizada e a nova maneira de se envolver no debate: as redes sociais e a internet de forma geral. A cada intervalo, os repórteres apresentavam a dança das informações que surgiam em tempo real, por meio de gráficos que demonstravam as buscas dos internautas por determinado assunto ou candidato. É o cyber debate que chegou pra ficar.

Compare abaixo a grande diferença que se percebe com o avanço da tecnologia: 

https://www.youtube.com/watch?v=VmFoc3BdAm4

https://www.youtube.com/watch?v=ukdUtUpskd8&t=18s

Este foi só o primeiro. Temos mais oito debates principais programados pela frente. O negócio é fazer o possível para acompanha-los. A cada um deles buscar a direção do Senhor para não cair no engano e nem deixar que os eleitores brasileiros sejam enganados. Se mantivermos todo o processo eleitoral envolvido pelo olhar e presença do Eterno, não seremos surpreendidos pelos enviados do nosso adversário. Você só não pode se esquecer que esta não é uma responsabilidade do Senhor, mas nossa. Que Deus nos ajude a cumpri-la! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado